SUEZ Water - Água e tecnologias de água

Construtor de projetos

Construtor de projetos

O guia do engenheiro de consultoria para água puraQualidade da água – SUEZ

Água de alta qualidade é fundamental para muitas aplicações no setor de saúde, em particular em unidades de diálise renal, departamentos de serviços estéreis e laboratórios.

Garantir que a qualidade da água atenda aos padrões apropriados e que o equipamento de purificação de água seja especificado, projetado e instalado corretamente requer conhecimento especializado e expertise.

Embora isso possa parecer uma tarefa complexa para aqueles com pouca experiência em processos de purificação de água, nosso objetivo com este site é orientá-lo pelas diferentes tecnologias e padrões, e ajudá-lo a projetar soluções eficazes para seus clientes ou parceiros.

Este site também contém vários recursos importantes para ajudá-lo com o projeto, incluindo uma visão geral das diferenças na qualidade da água em todo o Reino Unido, as tecnologias necessárias para purificar a água a vários padrões e uma visão geral dos sistemas disponíveis.

Selecione o código postal de onde será o seu projeto:

 

postcode_map

Qualidade da água

Uma compreensão adequada da qualidade da água da rede no local do projeto é essencial para poder especificar e projetar qualquer sistema de purificação de água.

Para compreensão geral, a qualidade da água potável fornecida em todo o Reino Unido pode ser amplamente dividida em três categorias distintas, ou zonas. A química de qualquer fornecimento dependerá da geologia da área de captação de água ao redor, das condições ambientais locais e se a fonte é captada de um aquífero ou se é derivada de uma fonte de superfície, como um reservatório, lago ou rio.

Zona 1 (água leve/alta concentração de matéria orgânica)

A zona 1 refere-se às áreas do Reino Unido, onde a água é geralmente derivada de uma fonte de superfície, como um reservatório, rio ou lago. A geologia subjacente nessas áreas tende a ser impermeável à percolação da água pluvial. Estas condições resultam em uma fonte de água que tem uma baixa concentração de minerais, cuja água ser considerada leve (devido aos baixos níveis de sais de cálcio e magnésio de grande dureza dissolvidos), mas que apresenta uma coloração perceptível e alta concentração de materiais orgânicos dissolvidos.

Devido à fonte de abastecimento de água categorizada sob esta zona, a sua qualidade está sujeita a mudanças sazonais e é influenciada grandemente pela chuva, temperaturas sazonais e ciclo de vida de muitos tipos de flora que podem prosperar em apenas alguns meses do ano, mas que poderiam potencialmente afetar as aplicações se não forem contabilizados em qualquer projeto de sistema de tratamento de água proposto.

Em geral, a água fornecida na Escócia pode ser classificada na categoria da zona 1. Deve-se observar que a atual legislação escocesa declara que é da responsabilidade de todos os hospitais escoceses filtrar a água de entrada até um nível de 0,5 mícron antes da distribuição. Este requisito é tipicamente satisfeito pela instalação de uma estação de ultrafiltração (UF) ou de sistema de filtração por membrana (MF). Portanto, ao especificar um novo sistema de purificação de água dentro de um hospital na Escócia, o grau de pré-tratamento necessário será influenciado pelo fato de o pré-tratamento por UF ou MF já estar ou não implantado para o fornecimento de água fria.

Zona 2 (dureza média/orgânicos médios)

A qualidade da fonte de água que se enquadra na zona 2 é mais difícil de prever e quantificar, pois suas fontes podem variar até diariamente, dependendo de como as autoridades locais gerenciam suas reservas de água. A água nesta classificação pode ser extraída de uma fonte de superfície, uma fonte subterrânea ou uma combinação de ambos os tipos, de modo que o projeto de qualquer sistema de tratamento de água precisa ser baseado na pior condição possível.

A qualidade da água potável da zona 2 pode, portanto, flutuar entre a qualidade da zona 1 e a qualidade da zona 3 ou apresentar uma combinação de ambos os tipos, por exemplo alta dureza e alta concentração de matéria orgânica.

Dentro desta zona existem "pontos quentes" onde a qualidade orgânica da água da fonte pode variar excepcionalmente e apresentar tipicamente uma natureza coloidal. Sistemas de tratamento de água nessas áreas geralmente requerem formas adicionais de pré-tratamento, que podem incluir o uso de ultrafiltração como um meio de reduzir o nível de materiais orgânicos coloidais.

Zona 3 (dureza alta/orgânicos baixos)

As águas potáveis ​​classificadas como na zona 3 são geralmente as mais fáceis de tratar devido à sua consistência. Eles têm o mais alto nível de minerais dissolvidos e podem ser considerados como formadores de incrustações, mas também têm o menor potencial de formar incrustações em membranas e filtros de maneira orgânica; isto se dá por sua fonte ser tipicamente poços ou aquíferos.

Como a água da chuva é ligeiramente ácida, ela consegue passar através das rochas calcárias, assim quaisquer materiais e partículas orgânicas dissolvidas são filtrados pela geologia subjacente. No entanto, durante este processo de filtragem, a água ácida da chuva produz uma alta concentração de sais de cálcio e de magnésio, o que resulta em um aumento na dureza total da água.

Devido à profundidade de onde a água é extraída das áreas da zona 3, ela geralmente é protegida das influências da precipitação sazonal, temperatura e atividade biológica e, portanto, o projeto de qualquer sistema de tratamento de água torna-se mais simples e menos propenso a ser subdimensionado em termos de processos de purificação.

Para descobrir em que zona o abastecimento de água o seu projeto se enquadra, basta clicar aqui para ir para um mapa mostrando as diferenças regionais na qualidade da água.

 


Padrões de água

Há vários padrões e diretrizes oficialmente reconhecidos que devem ser atendidos para aplicações de saúde específicas. É crucial que estes sejam levados em consideração ao se empreender um projeto que incorpore essas operações.

Os principais padrões estão listados abaixo

Padrões de laboratório

Abaixo segue um breve resumo de padrões para qualidade da água existentes. Observe que, embora este site seja regularmente atualizado, é possível que alterações recentes não sejam exibidas e, portanto, não aceitamos qualquer responsabilidade por erros. Para obter uma cópia completa dos padrões mais recentes ou para obter mais informações, entre em contato diretamente conosco.

Água BS EN ISO 3696 para uso laboratorial analítico

Parâmetro Grade 1 Grade 2 Grade 3
Valor do pH a 25° C N/D N/D 5.0 – 7.5
Condutividade, µs/cm a 25° C 0.1 1.0 5.0
Conteúdo de oxigênio (O) em matéria oxidável, mg/l N/D 0.08 0.4
Absorção a 254 nm (célula de 1 cm), unidades abs 0.001 0.01 NS
Resíduo 110° C, mg/Kg N/D 1 2
Sílica (SiO²), mg/l 0.01 0.02 NS

Especificação padrão ASTM para água reagente D1193 - 06

Parâmetro Tipo I Tipo II Tipo III Tipo IV
Resistividade, MΩ-cm 18.0 1.0 4.0 0.2
pH 5.0 – 8.0
Carbono orgânico total (COT), µg/l 50 50 200
Sódio, µg/l como Na 1 5 10 50
Cloreto, µg/l como Cl 1 5 10 50
Sílica total, µg/l 3 3 500

Padrões de diálise renal

Abaixo segue um breve resumo de padrões para qualidade da água existentes.

Observe que, embora este site seja regularmente atualizado, é possível que alterações recentes não sejam exibidas e, portanto, não aceitamos qualquer responsabilidade por erros. Para obter uma cópia completa dos padrões mais recentes ou para obter mais informações, entre em contato diretamente conosco.

Água para hemodiálise e terapias relacionadas ISO 13959:2002(E)

Parâmetro Nível máximo (mg/l como íon)
Alumínio 0.01
Antimônio 0.006
Arsênico 0.005
Bário 0.1
Berílio 0.0004
Cádmio 0.001
Cálcio 2
Cloraminas 0.1
Cloro 0.5
Cromo 0.014
Cobre 0.1
Fluoreto 0.2
Cloro livre 0.5
Chumbo 0.005
Magnésio 4
Mercúrio 0.0002
Nitrato (N) 2
Potássio 8
Selênio 0.09
Prata 0.005
Sódio 70
Sulfato 100
Tálio 0.002
Estanho 0.1
Zinco 0.1
Contagem viável total  
Endotoxinas  

4ª edição de 2007 de orientações para a UK Renal Association: para uso com novo equipamento

Parâmetros Nível máximo (mg/l como íon)
Alumínio 0.01
Amônio 0.2
Arsênico 0.005
Bário 0.1
Berílio 0.0004
Cádmio 0.001
Cálcio 2
Cloreto 50
Cromo 0.014
Cobre 0.1
Fluoreto 0.2
Chumbo 0.005
Magnésio 2.0
Mercúrio 0.0002
Nitrato (N) 2
Potássio 2
Sódio 50
Prata 0.005
Sulfato 50
Tálio 0.002
Estanho 0.1
Cloro total 0.1
Zinco 0.1
Contagem viável total  
Endotoxinas  

Padrões de descontaminação

Abaixo segue um breve resumo de padrões para qualidade da água existentes. Observe que, embora este site seja regularmente atualizado, é possível que alterações recentes não sejam exibidas e, portanto, não aceitamos qualquer responsabilidade por erros. Para obter uma cópia completa dos padrões mais recentes ou para obter mais informações, entre em contato diretamente conosco.

(S)HTM 2030/C30

Parâmetro Valor máximo
Aparência Transparência, cor
pH 5.5 – 8.0
Condutividade a 25º C 30 µS/cm
Dureza total 50 mg/l
Metais pesados 10 mg/l
Fosfato 0.2 mg/l
Ferro 2 mg/l
Cloreto 10 mg/l
Silicato 0.2 mg/l
Sólidos dissolvidos totais 4 mg/100 ml
Contagem viável total a 37º C  
Endotoxinas